Livro: 100 Maneiras de motivar a si mesmo
Autor: Steve Chandler
Arnold Schwarzenegger ainda não era famoso em 1976, quando almocei com ele no hotel Doubletree Inn em Tucson, no Arizona. Ninguém no restaurante o reconheceu. Ele estava na cidade para promover o filme O guarda-costas (Stay Hungry), fracasso de bilheteria que tinha acabado de gravar, contracenando com Jeff Bridges e Sally Field. Eu era colunista esportivo do Tucson Citizen na época e minha pauta era passar um dia inteiro com Arnold, entrevistando-o para escrever um perfil para a revista de domingo do jornal.
Eu também não fazia ideia de quem ele era ou de quem se tornaria. Concordei com o trabalho porque simplesmente não tinha escolha. E embora tenha saído da redação com certa má vontade, aquela acabou sendo uma entrevista que jamais esquecerei.
Talvez a parte mais memorável do dia com Schwarzenegger tenha ocorrido durante o almoço. Eu continuava anotando as respostas dele no meu caderninho enquanto comíamos. A certa altura lhe perguntei: “Agora que você se aposentou do fisiculturismo, qual será o próximo passo em sua carreira?”
Com a maior naturalidade do mundo, ele respondeu: “Vou me tornar o astro responsável pelo maior sucesso de bilheteria de Hollywood.”
Procurei não demonstrar meu espanto nem minha vontade de rir com o plano dele. Afinal, sua estreia no cinema não prometia muito. O sotaque austríaco e o físico monstruoso também não sugeriam grande possibilidade de aceitação pelo público. Enfim, consegui me recompor e, com a mesma tranquilidade de Arnold, perguntei a ele como exatamente planejava se tornar um astro de Hollywood.
“Pelo mesmo processo que usei no fisiculturismo”, explicou. “O que faço é criar uma visão do que quero ser e então vivenciar essa imagem como se já fosse realidade.”
Parecia ridiculamente simples. Simples demais para significar alguma coisa. Mas anotei o que ele falou e nunca me esqueci disso.
Também sempre vou me lembrar do momento em que um programa de TV anunciou que os números de bilheteria de O exterminador do futuro II tornavam Arnold o astro que mais atraía espectadores ao cinema no mundo inteiro.
Ao longo dos anos, tenho usado sua ideia de criar uma visão como uma ferramenta motivacional. Peço às pessoas que atentem para o fato de que ele não disse que você deve esperar até receber uma visão, mas que deve criá-la. Ou seja, inventá-la. Para ter uma vida motivada você precisa de algo que o anime a se levantar da cama pela manhã – algo que faça a fim de se manter faminto.
Essa visão pode ser criada agora mesmo – e quanto mais cedo melhor. Você poderá modificá-la se quiser, mas tente fortalecê-la em todos os momentos. Então observe que a vontade de realizar essa visão pode fazer milagres por sua habilidade de motivar a si mesmo.
Arnold posteriormente utilizou a mesma visão positiva de futuro para se tornar governador, quando muitos, se não todos, novamente diziam que ele não conseguiria.
602x0_1477485748
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s